21 maio, 2016

Feminismo

21 maio, 2016

Perguntas nos definem e fazem de nós seres céticos sobre o tradicionalismo. A história que nos contaram nas escolas remete o que realmente aconteceu? A mentalidade do povo ocidental do século XXI é digno de admiração e orgulho? Vivemos em uma épocas de escuridão mesmo com aparência de luz, deixamos para trás tudo aquilo que considerávamos  belo, honrado e digno. 

Com a modernidade, mesmo estando em uma “sociedade matriarcal”, as feministas alegam ainda estar lutando pela a causa em busca de acabar com toda a opressão que elas alegam “sentir”, em prol da igualdade de gênero e seus papeis na sociedade. Culparam o Patriarcalismo com base de tudo aquilo que incrivelmente não representa a sociedade patriarcal. De maneira enfática, digo que elas estão lutando contra algo que a própria sociedade moderna contribui. O afastamento da  moral e dos seus princípios civilizacionais. Seja um homem abusar de uma mulher, deprava-la de sua pureza ou simplesmente destrata-la. As famosas cantadas na rua como exemplo perfeito. Tais coisas são erroneamente levadas a acreditar que são os homens do passado que praticavam tais abusos de forma cultural, mas tal afirmação é infundada. Cavalheirismo é motivo de piada atualmente e desestimulado. Podemos ver com clareza que se todos os homens tivessem uma educação digna de tais valores patriarcais, provida da mais alta cultura, não veríamos tais depravações existentes em nossa sociedade. De fato, estupros sempre ocorreram, infelizmente, abusos sempre ocorreram em toda a história da humanidade, mas entenda-se que tais coisas não eram estimuladas e duramente repreendidas com punições severas, ao menos em sua totalidade nas culturas ao redor do mundo por ser um valor não-civilizacional.

Ser um tradicionalista, em suma, não significa defender ou compactuar com assédios, é duramente critica-los. Mas o homem do século XXI está desprovido de tais conhecimentos e afogado em um mar de vícios hedonísticos. Ora, um ser que despreza tudo que é belo e formoso que foi criado pela a moral ao longo de milênios e que alimenta sua alma apenas com desejos carnais e materiais, logo estará à mercê de julgamentos inconclusivos e ações erradas. Partirá do preceito popular inóspito sem base julgador e praticará a injustiça em cima daquelas que deveriam ser protegidas e amadas. O modernismo sabe disso e realmente trabalha em cima disso para alavancar a culpa masculina na sociedade de tal forma que expressar qualquer masculinidade é motivo de represaria e ofensa. Tal honra destruída pela a sociedade moderna, resta para eles, apenas criar novos inimigos para poder manter sua causa ativa e viva. O patriarcado tem sido deturpado, acusado de ser o principal opressor das mulheres. Intolerante, tirânico e sangrento é o que elas alegam que seja o patriarcado. Porém, este patriarcado só existe na maior parte na mente do lobby feminista.

Mulheres terem sido a principal arma para destruir o ocidente(com a emancipação, feminismo etc). Dar parabéns por elas terem multiplicado várias vezes os lucros dos capitalistas, graças ao seu fetichismo consumista? Mas agora elas são ”livres” para dar e mostrar o corpo nu pra quem quiser, são livres para pregar qualquer ideologia moderna imbecil (é claro, são livre para fazer isso somente depois de trabalhar 5/6 dias por semanas, 8/10 horas por dia pra algum capitalista judeu encher os bolsos de dinheiro). O que as mulheres não entendem é que saíram da verdadeira liberdade para um cárcere privado. Esse individualismo destruiu/está destruindo o núcleo familiar, o tradicionalismo.

Na verdade, esses jovens de hoje, por dentro das redes sociais que se acham hispters, são cegos pelo o ideal utópico do consumismo, como a maioria dos jovens são cegos por essa ideologia do pós-modernismo que acreditam estar fazendo o certo ao se livrar de tais dogmas. A moral que surgiu com esses milênios é nutrido da mais alta classe, filosofia e santidade durante toda a história da humanidade. Ao menos existe um respaldo geopolítico da subsistência humana no valor da moral ao mundo. Pois se não fosse por ela, viveríamos em épocas de trevas sem fim numa anarquia generalizada. Entenda o que eu defendo não é a imagem estereotipada do preconceituoso brasileiro. Isso é besteira. A essência do ser humano não é lutar e força-lo a ser algo que não é. Como disse anteriormente. Igualdade é anti-natural.

Servir a sua nação, honrar o seu país, a sua língua, conhecer a sua história, contribuir para que a sua nação prevaleça, deixar um legado, trazer prosperidade ao país, isso sim, deve estar enraizado, pois tais coisas são inócuas, e saudáveis, e consequentemente, vitais.

Aqueles que acusam os tradicionalistas de misoginia não podem compreender o quão profundamente nós adoramos o sexo feminino. Pedimos apenas que as mulheres sejam mulheres. O achatamento dos sexos, a tentativa absurda de gerar uma igualdade de identidade é tão vaidoso quanto é antinatural. Os homens querem ser homens. Eles são consumidos com um insaciável desejo de liderar, proteger e servir suas mulheres. As mulheres querem ser mulheres. Para submeter aos homens que elas acham dignos, para guiar, inspirar e capacitá-los de inúmeras formas que eles nunca poderiam obter isoladamente. Como disse, cada lado tanto dá quanto recebe. Cada lado lidera e é liderado. Eles fazem um ao outro mais masculino e mais feminino. É uma absoluta e deliciosa mistura de desejos que deveriam,a princípio, conflitar, mas não.

Morte ao feminismo. Deixe os sexos prosperarem em seus estados naturais e ver como as mulheres tecem suas mechas sutis de poder feminino em toda a sociedade mais uma vez.

«
»
  • Laneta

    Ab fab my godloy man.

  • Interessante….

  • Gustavo de Carvalho Pedrazzi

    Interessante…

  • O Transhumanista

    Eita que esse povo que paga de tradicionalista mais não dispensa um shopping center

    O tradicionalismo/patriarcado é um dos regimes mais canalhas surgidos na humanidade, que reduziu o sexo oposto a uma mera propriedade.

    Vocês usam da falácia naturalista para justificar suas crenças(O ser humano está próximo de superar as barreiras naturais com o Transhumanismo)

  • Esse comentário complementa algumas falhas no texto diante da minha percepção. Mas Vc está de parabéns seu texto é muito massa! Esse site é incrível!
    Parabéns Cara, Concordo em partes. Acho que o verdadeiro Homem, faz como ninguém seu papel, assim como a verdadeira Mulher faz como ninguém o dela. Um precisa do outro, se não, seríamos seres assexuados, e não existiria o sexo (gênero). Igualdade de Direitos, sim! Eu assino em baixo. Mas a questão não é o feminismo no seu significado real, mas o “feminismo” criado atualmente, não por todas, mas por algumas “mulheres”, se fazendo de vítima, por passar por situações que “homens” imaturos e não dignos deste H maiúsculo, as fazem passar, com desrespeitos e todas as formas de abuso. Isso é consequência do tempo moderno, onde a educação já não é a mesma, a estrutura familiar está destruída, e a criança não tem mais um norte, partindo de um Pai Homem e uma Mãe Mulher presente. Isso faz falta, mas infelizmente isso é cada vez mais comum.

  • Ótimo texto. Feminismo é câncer.

  • Rodriguez

    Ótima visão e perfeito na ultima estrofe ou frase. Parabéns

  • Elenilson

    Essas feministas querem acabar com o homem, com a dominância masculina. O que é bizarro é que elas “se cagam” na presença de um alfa, pois elas sabem que não caimos nessa de “machismo” ou de “cultura de estupro” e dessa forma as deixamos “putas da vida”.. Morte as feminazis.

  • Maurício Sena

    Belo texto, concordo 99%, pois eu acho que o que está destruindo o tradicionalismo e a responsabilidade individual não é o consumismo, mas sim o HEDONISMO, o consumismo também faz parte, mas o hedonismo acredito que seja muito mais destrutivo.

  • tchélo.

    Parabéns Cara, Concordo em partes. Acho que o verdadeiro Homem, faz como ninguém seu papel, assim como a verdadeira Mulher faz como ninguém o dela. Um precisa do outro, se não, seríamos seres assexuados, e não existiria o sexo (gênero). Igualdade de Direitos, sim! Eu assino em baixo. Mas a questão não é o feminismo no seu significado real, mas o “feminismo” criado atualmente, não por todas, mas por algumas “mulheres”, se fazendo de vítima, por passar por situações que “homens” imaturos e não dignos deste H maiúsculo, as fazem passar, com desrespeitos e todas as formas de abuso. Isso é consequência do tempo moderno, onde a educação já não é a mesma, a estrutura familiar está destruída, e a criança não tem mais um norte, partindo de um Pai Homem e uma Mãe Mulher presente. Isso faz falta, mas infelizmente isso é cada vez mais comum, e a humanidade anda pra trás, com desordem e regresso.

  • Olá Geon, confesso que gostei do seu texto, fortes e argumentações plausíveis do ponto de vista masculino e tradicionalista. Contudo discordo em muitas coisas, principalmente no que diz respeito a lei natural do ser humano, que em síntese baseia-se no princípio de autoconsevação, o que incita a luta pela sobrevivência e a submissão de outro, para que é possa garantir sua sobrevivência. O foco principal de minha crítica é justamente o fato de você dizer que o homem tem que ser homem e a mulher ser mulher, mais ai a pergunta quem definiu estes parâmetros? Após o princípio de autoconsevação não deveríamos ter o direito e poder de escolha? O feminismo luta pelo direito à voz e à representatividade, assegurando-lhes direitos cíveis básicos, como igualdades salarial por exemplo. É importante fazer uma análise histórica sem o olhar de preconceito, e com um pouco mais de imparcilidade, infelizmente percebo em sua fala, vestígios de análises muito pessoais, o que não corresponde ao enredo histórico real. As mulheres tiverem direito ao voto não faz muito tempo, tampouco à alfabetização. Cada ser humano deve antes de mais nada ter o direito à escolha, não a obrigação que disse em algum momento da que cada ser humano tem um papel pré definido biologicamente ou socialmente, o que deve acontecer é o indivíduo abrir mão deste ou daquele direito em prol do desenvolvimento da sociedade como um todo.

  • Mais uma vez só verdades um ma análise sucinta e direta , parabéns.

  • Giovanni

    Como sempre, sensacional, acopanho seus textos desde que era um pivete de 15 anos, e agora com 19, não tem como não perceber inclusive a evolução dos temas, de um site que tinha como propósito inicial, ensinar a “pegá muié”, para algo tão abrangente como qual a direção nossa cultura está tomando, fui criado pela minha mãe desde pequeno, pois meu pai não gostava de trabalhar(esse foi o motivo da separação)e, de fato, em muitos momentos eu sentia falta dessa presença masculina, apesar de ter convivido muito com meu pai, ele nunca se mostrou presente, mas minha sempre conseguiu segurar as pontas, ela nunca nem sequer ligou para feminismo e essas coisas, ela só era ela, mas mesmo assim eu vejo como ela sofreu com isso, pois ao contrário do que muitos pensam essa “emancipação” não ajuda, apenas fode com a mulher, mas as mulheres de verdade, que tem responsabilidade e vergonha na cara, como minha mãe, que trabalha não 8, mas 12 horas por dia como professora, para termo uma vida boa,(e também porque ela era bem consumista na época hehe), mas mesmo com tudo isso, ter um pai presente realmente iria ajudar muito a minha vida, acho, não posso falar sobre algo que nunca tive plenamente, mas creio que seria menos confuso, já que eu não tenho o mesmo santo que minha mãe, mas sou extremamente parecido com meu pai..

  • Quando se tentam despersonalizar as diferenças entre homens e mulheres o efeito direto disso é uma sociedade assexuada: não se sabe direito onde começam e terminam masculino e feminino.

  • Lucas Felipe Lucio

    Belo texto!

  • Rafael

    O final desse texto ficou sensacional. Eu estava refletindo sobre o assunto esses dias e agora que li isso consegui preencher umas lacunas do meu pensamento. Meus parabéns, Geon. E obrigado por compartilhar.